Endorfina

Essa tal de endorfina é do bem!

Definida como "cocaína natural" pelo médico dos esportes, Dr. Pedro de Oliveira, a endorfina, substância produzida pelo cérebro, proporciona boas sensações sem causar dano algum à saúde. Ainda pouco conhecida pelos médicos no seu mecanismo, a substância já tem existência comprovada e varia de pessoa para pessoa. E ao contrário do colesterol, seu aumento é só alegria, embora não possa ser quantificada por não apresentar dosagem na corrente sanguínea. Segundo os médicos da área, o aumento da endorfina provoca sensação de bem-estar, felicidade e alívio.

Onde é a fonte de tamanha felicidade?endorfina

De acordo com o Dr. Pedro de Oliveira, a sensação de felicidade e bem-estar causada pela endorfina é facilmente perceptível em adeptos de atividades físicas de longa duração. Um maratonista por exemplo, depois de percorrer 30 Km, com aparência cansada e praticamente desistindo da vitória, muda de expressão como um passe de mágica. Com um sorriso no rosto e uma energia que surge "do nada", ele parte para a conquista e vence a competição quando acreditava que não tinha mais forças. Esse estímulo que surge "do nada" é o que os médicos chamam de endorfina. E para felicidade geral da nação, os simples mortais, não adeptos de práticas físicas intensivas, também podem usufruir dessas sensações. Os chocólatras e ninfomaníacos que o digam, chocolate e sexo "são" endorfina pura!!! Ou melhor, aumentam a produção da substância já presente no organismo, contribuindo para a percepção das boas sensações. Pedro diz que as substâncias presentes no chocolate atingem o cérebro provocando o aumento da endorfina, "embora ainda não se saiba qual seja o mecanismo." E diz que o sexo pode ser considerado uma atividade física intensiva, pois é forte e exige estímulo cerebral, por isso depois do "esforço" vem o êxtase. "Existe uma intercomunicação de neurônios de várias áreas do cérebro. Os neurônios implicados no estímulo sexual se comunicam com a célula nervosa receptora de endorfina, com isso há aumento da produção", finaliza ele.

Uma "parente" da morfina? Há controvérsias!

O médico Cláudio Ferreira, também da área de esportes, conta que a endorfina pode diminuir ou eliminar a dor, mas ao contrário do que se ouve, "não é comparável a morfina", ou seja, não chega a ser um potente analgésico. Para ele, a endorfina é uma substância cientificamente ligada a melhoria da performance, que atua a nível de exaustão e diminui o limiar da dor.

Já o Dr. Pedro de Oliveira não tem a mesma opinião: "Não há comprovação que a endorfina diminua a dor, muito menos que elimine." Essa contradição entre os médicos pode ser vista como algo natural se você pensar que a substância ainda apresenta aspectos desconhecidos. Há até quem diga que a endorfina presente no leite materno devido aos hormônios da mãe, sirva como analgésico e calmante para o bebê, o que ainda não foi comprovado. Outro boato é que a substância faz parte da composição do Prozac, um dos antidepressivos mais conhecidos. O Dr. Pedro Oliveira explica que na composição do medicamento há substâncias parecidas, produzidas em laboratório, que também reproduzem boas sensações. Bom… depois de expostas tantas vantagens, é ficar de olho em outras descobertas a respeito da endorfina.

Copyright eSobre - Politica de Privacidade

;