Osteoporose

Segundo a própria origem da palavra, significa “ossos porosos”, onde entendemos modernamente como a mais comum doença osteometabólica, de importante significado clínico e enquanto problema de saúde pública, com respeito ao seu elevado custo social e elevada morbidade, sendo atualmente a principal causa de fraturas em idosos.

Pode ser definida sob vários aspectos

  • É uma diminuição de massa óssea com mineralização normal;
  • Possui sinais Radiológicos e Densitométricos que permitem a quantificação de seu grau de acometimento e são de utilidade no rastreamento diagnóstico;
  • É um fator de aumento do risco de Fraturas e Fragilidade do Esqueleto ;

Pode Resultar deosteoporose

  • Diminuição da Formação de Tecido Ósseo;
  • Aumento da Reabsorção Óssea ou A associação de ambos os fatores.

Geralmente, quando ocorre uma fratura, estima-se que o processo de deterioração óssea já deve ter tido início 10 a 20 anos antes do evento, e estima-se também que já deva ter ocorrido perda de 30% da massa óssea normal.

A Osteoporose pode ser classificada em primária ou secundária

Primária (ou sem causa definida): que podem ocorrer nas formas Juvenil, do Adulto Jovem, em Mulheres após a Menopausa ou, a forma senil, que é a mais comum e acomete principalmente Mulheres com mais de 65 anos.

Secundária (aquela que ocorre como conseqüência de outra doença): em associação com Doenças da Medula Óssea (mielomas, leucemias,…), Doenças Endócrinas (doenças da Tireóide, hipogonadismos,…), Doenças Gastrointestinais (geralmente Cirrose e síndromes de Má Absorção Crônicas,…), Doenças Genéticas do Tecido Conjuntivo, ou, como complicações de tratamentos médicos associados com imobilizações ou períodos prolongados de internações com ausência de sustentação de perso por períodos prolongados.

Clinicamente ela se Manifesta por Dor Lombar, que pode ocorrer em agudizações após pequenas fraturas espontâneas que geralmente ocorrem após o paciente se sentar ou ao levantar da cama, podendo ocorrer também perda da altura, deformidades da coluna e múltiplas fraturas em diferentes estágios de consolidação ao Raio X.

São Considerados Fatores de Risco para a Osteoporose esses 2 grupos:

Fatores de Risco Estabelecidos

Mulheres com mais de 50 anos, magras e pequenas, de Raça branca ou orientais, Mulheres menopausadas precocemente (de modo natural ou após cirurgias ginecológicas) e também associada ao uso crônico de Corticóides.

eSObre dores na coluna  bico de papagaio

Fatores de Risco “Prováveis”

Baixa ingestão de Cálcio na Dieta, Ingestão excessiva de Proteínas, consumo de Café, Álcool, Cigarros.
Mulheres que nunca tiveram filhos também são consideradas de Risco, porém existe sempre uma predisposição familiar e relação com sedentarismo (pouca atividade física).

Estima-se também que algumas outras drogas também predisponham ao desenvolvimento de Osteoporose como certos tipos de Hormônios Tireoidianos, Vitamina A, Antiácidos do tipo do Hidróxido de Alumínio, heparina e Diuréticos Anti-hipertensivos como o Furosemide.

Tratamento da Osteoporose

O Tratamento baseia-se na prevenção, nos pacientes considerados “de risco” e nos casos onde a doença já apresenta evidências de atividade.

Existem alguns remédios que pode ser utilizados, como a reposição de cálcio, hidróxiapatita o Alendronato a Ipriflavona, Hormônios Estrogênios, Progestágens ou Anabolizantes. Mas em geral, os remédios devem ser administradas pelo médico em associação com Reposições vitamínicas e de Cálcio e sempre associada com mudanças nos hábitos alimentares e associação com algum grau de Atividade Física.

Leia também SOBRE

Dicas para eliminar o estresse no trabalho

Medicina ortomolecular

Anestesia para tatuagem

Copyright eSobre - Politica de Privacidade

;